domingo, 4 de novembro de 2007

Poeta Teófilo Leite Beviláqua




ESTROFES PARA ALGUÉM...

eu que parei no fundo do tempo
escrevo uns versos, enquanto vejo
a agonia das horas me encherem
de tédio, de raiva e de desejo

eu que parei no fundo do tempo
não espero mais pelo milagre
de ter tua boca em minha boca
e ser um infeliz quase alegre

eu que parei no fundo do tempo
enxergo nas tuas fotografias
o encanto contrário que ecoa
à toa no mar e nas maresias

eu que parei
eu que esperei
eu que não sei
por que te amo.

Teófilo L.B - 28.10.07


.

Um comentário:

Falando Francamente disse...

Hmmmm. Interessante

Por um acaso encontrei esse blog, e por acaso encontrei o seu poema nele...


Lindo, como sempre